Notícias

Skip Navigation LinksHome > Notícias > SINTERP/BA E SERTEB ASSINAM ACORDO DA CAMPANHA SALARIAL DOS RADIALISTAS 2018
sábado, 19 de maio de 2018

SINTERP/BA E SERTEB ASSINAM ACORDO DA CAMPANHA SALARIAL DOS RADIALISTAS 2018


No dia 10 de maio, foi assinado o acordo dos Radialistas referente à Campanha Salarial 2018, no qual os trabalhadores tiveram um reajuste maior que o INPC do período, que foi de 1,56%. Todos os pisos salariais receberam 2,4% de reajuste e as cláusulas econômicas da CCT, serão reajustadas em 2%. Houve correção na redação de algumas cláusulas e a inclusão de cláusula que trata da intrajornada, (o intervalo entre a jornada de trabalho) especificando que ela pode ser de, no mínimo, 30 minutos para quem trabalha acima de seis horas corridas.

O piso da capital será de R$ 1.609,00 a partir de abril de 2018, extensivo às funções de secretária, telefonista, motorista, recepcionista e técnico de contabilidade. No interior, exceto na cidade de Juazeiro, o piso será de R$ 1.032,00. Para as funções não previstas fica estabelecido o valor de R$ 979,00. O quinquênio será de R$ 92,82 na capital e R$ 48,96 para as empresas estabelecidas no interior do estado.

Em Juazeiro, onde o acordo foi assinado no mês de abril, o reajuste foi de 2,5% e o piso salarial ficou em R$ 1.244,00. Para as funções não regulamentadas o valor acordado foi de R$ 1.007,89. O quinquênio será de 96,08. Na web TV os profissionais receberão R$ 239,63 e a taxa negocial ficou estabelecida em um dia de trabalho descontado no mês de abril, a menos que o funcionário se manifeste em contrário.

A contribuição sindical negocial para junho e outubro, com o direito do trabalhador se manifestar em contrário, foi incluída na Convenção Coletiva dos Radialistas 2018/2019. Destaca-se a importância e a conscientização dos trabalhadores em conceder o pagamento desta contribuição para a manutenção da sua entidade de classe e para que ela continue defendendo os princípios e os diretos dos trabalhadores. Mesmo diante de tantas retiradas de direitos conquistados por ela, a entidade precisa se manter ativa em suas ações, como pagar funcionários, prestadores de serviços, corpo jurídico, condomínio, material de escritório, manutenções administrativas, computadores, transportes, subsidiar as regionais e etc.

Os trabalhadores cobram visitas ao interior do estado, mas fica impossível realizá-las sem condições financeiras, combustível e hospedagem. Até mesmo a comunicação fica comprometida por falta de verbas.

Não deixem morrer sua última fonte de esperança viva em defesa da classe.

Para que o seu sindicato possa existir e atuar, ele precisa de apoio financeiro. A categoria precisa do sindicato para realizar suas lutas em prol dela mesma, como a Campanha Salarial, assim como a manutenção de todos os direitos já conquistados em Convenção Coletiva e a Lei dos Radialistas, além de atuar contra esse governo de covardes do presidente Temer e sua tropa, que assinou em 4 de abril um Decreto reduzindo as funções de Radialista de 94 para 24, aglutinando várias em uma só, com nova denominação para enganar idiotas. O acúmulo de função praticamente deixa de existir, passando a ser aceito como procedimento normal para o trabalhador. A FITERT (Federação dos Radialistas) está tomando atitudes contra isso, entrando pela segunda vez com uma ADIN, mas ainda não se pode prever o que vai acontecer. Se todas essas aberrações ocorrem com a presença dos sindicatos atuando, imagina o que não fariam sem o sindicato?

É tudo que os patrões querem: deixar os trabalhadores desprotegidos, à mercê das suas garras, com sapato 45, bico largo e chutes certeiros. É necessário conservar nossas entidades de classe e é por isso que devemos pagar a Contribuição Sindical Negocial. Dessa forma não deixamos nosso sindicato morrer. É importante também a participação dos trabalhadores nas assembleias e nas lutas, pois sem eles nada é possível e o patrão adquire mais força. É fácil dizer que o sindicato é pelego para quem não participa de nada e só espera que os diretores resolvam seus problemas. A categoria tem que se fazer presente, filiar-se e chegar junto! Participe! Pague a contribuição sindical negocial! Filie-se! Não deixe sua entidade de classe nas mãos daqueles que já mandam no Brasil!  

 


Seminário Reforma Trabalhista e Negociação Coletiva

assista o vídeo
.
.